EDITORIAL

Após muito pensar sobre a descrição do blog, topei com o seguinte texto de Leon Cakoff, in Os Filmes da Minha Vida, São Paulo: Imprensa Oficial, 2010: “qualquer imagem de qualquer época, mesmo que seja manipulada, pode ter seu valor enquanto documento. (...) Todas as imagens tem uma função. (...) A Elite pensante, em qualquer geração ou situação, corre um perigo muito grande. O de torcer o nariz para o que seja popular. (...) o ruim, na pior das hipóteses, nos ajuda a discernir o que é melhor”.

Assim, o cinema de qualquer período, lugar e/ou artista poderá aqui ser analisado, sem que a distinção entre filme de arte e diversão escapista interfira no processo, afinal, tanto o rigor quanto o formalismo em demasia podem impedir a descoberta de pequenos grandes prazeres muitas vezes encontrados nas pedras menos lapidadas. Ou, como diria um conhecido nosso, numa síntese descaradamente pop: “why so serious?”.




sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

2 Coelhos

     Vingança Para Quem Precisa

             A narrativa não-linear segue os moldes firmados por Quentin Tarantino. A concepção visual mergulhada em efeitos especiais emula o estilo videoclipe de Tony Scott, além dos maneirismos de Guy Ritchie e Zach Snyder. Por sua vez, o modo frenético como a violência urbana brasileira é mostrada revela influências de Fernando Meirelles e seu Cidade de Deus (Brasil, 2002). Some-se a essa estética inspirada em trabalhos e gêneros de outrora uma toada cínica e pessimista quanto ao futuro ético de nosso país e o resultado é uma típica experiência cinematográfica pós-moderna e, dessa vez, nacional, qual seja o filme 2 Coelhos (Brasil, 2012) estreia de Afonso Poyart na cadeira de diretor de longas-metragens.
            Ocorre que se, por um lado, o formato audiovisual se revela mais do que bem desenvolvido, por outro lado, a obra tropeça em termos de conteúdo graças a irregularidades do roteiro. Não que a intricada trama deixe pontas soltas, já que tudo fora corretamente amarrado por Poyart; na verdade, o problema da história de 2 Coelhos reside naquilo que os manuais de roteirização denominam como necessidade dramática do personagem, ou seja, por que o protagonista quer se vingar?
            Com efeito, essa incômoda dúvida traz em seu bojo a impressão de que o ímpeto vingativo do protagonista não encontra muita razão de existir, seja porque ilógico¹ – tendo em vista que um dos alvos é justamente o político que anos atrás tramara para evitar a prisão daquele primeiro – seja porque contradiz a própria descrença pós-moderna que permeia a aventura de ponta a ponta; por isso,  pensar que o protagonista só quer agir tal como um piloto de GTA² parece muito pouco em se tratando de cinema que, mesmo confessando a interação com o universo dos vídeo games, pretende nitidamente ser muito mais que isso.
___________________________
1.    O mesmo pode ser dito do personagem interpretado por Caco Ciocler, afinal, considerando o trauma sofrido pelo mesmo, seu comportamento ao invés de ambíguo só pode ser encarado como sem nexo.
2.    “GTA (Grand Thief Auto) é uma serie de jogos, produzidos pela Rockstar Games, que sempre gira em torno de um herói que sai pela cidade roubando e matando a torto e a direita, pessoas boas e más” (FONTE: http://accpara.blogspot.com/2012/01/2-coelhos.html).


COTAÇÃO - ۞۞۞

Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Afonso Poyart
Produção:Afonso Poyart, André Poyart
Elenco: Caco Ciocler (Walter)Djair Guilherme (Professor)Robson Nunes Afonso Poyart Eduardo Moscovis Fernando Alves Pinto (Edgar)Alessandra Negrini (Julia)Thogun (Bolinha)Aldine Muller (Sophia)Neco Vila Lobos (Henrique)Marat Descartes (Maicom)Thaíde (Velinha)Roberto Marchese
Música: André Abujamra
Fotografia: Carlos André Zalasik
Edição: Lucas Gonzaga, Afonso Poyart e André Toledo
Efeitos Especiais: Sergio Farjalla Jr.
Estreia no Brasil: 20 de Janeiro de 2012
Duração: 108 min.

Um comentário:

  1. ao que parece parece ser um brasileirinho fora do padrão, confiro assim que sair em dvd.

    ResponderExcluir