EDITORIAL

Após muito pensar sobre a descrição do blog, topei com o seguinte texto de Leon Cakoff, in Os Filmes da Minha Vida, São Paulo: Imprensa Oficial, 2010: “qualquer imagem de qualquer época, mesmo que seja manipulada, pode ter seu valor enquanto documento. (...) Todas as imagens tem uma função. (...) A Elite pensante, em qualquer geração ou situação, corre um perigo muito grande. O de torcer o nariz para o que seja popular. (...) o ruim, na pior das hipóteses, nos ajuda a discernir o que é melhor”.

Assim, o cinema de qualquer período, lugar e/ou artista poderá aqui ser analisado, sem que a distinção entre filme de arte e diversão escapista interfira no processo, afinal, tanto o rigor quanto o formalismo em demasia podem impedir a descoberta de pequenos grandes prazeres muitas vezes encontrados nas pedras menos lapidadas. Ou, como diria um conhecido nosso, numa síntese descaradamente pop: “why so serious?”.




quinta-feira, 25 de maio de 2017

Corra!



Não Fosse a Conclusão...

Sim, Corra! (EUA, 2017) é um filme interessante, divertido e mordaz. Não, Corra!, ao contrário do que muitos defendem, não chega a ser o melhor título do ano nem o primor cinematográfico que o hype prega.
Neste sentido, a enorme expectativa gerada pela enxurrada de odes a produção acaba um tanto frustrada quando já próximo ao fim o longa-metragem abandona a toada de suspense que correta e eficientemente ditava o ritmo da narrativa para, então, mergulhar no terror em sua faceta gore e, desse modo, entregar uma solução um tanto simplista e aquém das problemáticas instigantes em torno do racismo propostas durante os dois primeiros atos da obra.

Assim, quanto mais a produção se afasta do tom de paródia a Adivinhe Quem Vem Para Jantar? (EUA, 1967), mais se aproxima de Frankenstein em sua essência conceitual aqui fundida, como já dito, a elementos do cinema gore, caminho esse que acaba pondo quase que tudo a perder, tamanha é a banalização do conflito. Dito isso, faz-se mister enfatizar que, apesar de sua insatisfatória conclusão, o trabalho dispõe de duas primeiras partes muitíssimo bem filmadas – sobretudo no que atine a discussão racial e construção do suspense – e interpretadas, com destaque para as atuações precisas do casal de protagonistas Daniel Kaluuya e Allison Williams, hábeis em projetar todas as nuances de seus respectivos personagens.  
Essa coleção de pontos positivos, repita-se, acaba prejudicada pela supracitada conclusão simplória que impede Corra! de alcançar notas maiores, o que, em última instância, denota que o considerável número de comentários entusiasmados a seu favor parece ser fruto de uma carência do público por trabalhos minimamente criativos e inteligentes. Ante a sede qualquer copo d’água é festejado como um açude.

Ficha Técnica

Título Original: Get Out
Direção, Roteiro: Jordan Peele
Fotografia: Toby Oliver
Produção: Edward H. Hamm Jr., Jason Blum, Jordan Peele, Sean McKittrick
Elenco: Allison Williams, Ashley LeConte Campbell, Betty Gabriel, Bradley Whitford, Caleb Landry Jones, Caren L. Larkey, Catherine Keener, Daniel Kaluuya, Erika Alexander, Geraldine Singer, Ian Casselberry, Jeronimo Spinx, John Wilmot, Julie Ann Doan, Lakeith Stanfield, LilRel Howery, Marcus Henderson, Richard Herd, Rutherford Cravens, Stephen Root, Yasuhiko Oyama
Montagem: Gregory Plotkin
Trilha Sonora: Michael Abels
Estreia no Brasil: 18/05/2017
Duração: 104 min.

Nenhum comentário:

Postar um comentário