EDITORIAL

Após muito pensar sobre a descrição do blog, topei com o seguinte texto de Leon Cakoff, in Os Filmes da Minha Vida, São Paulo: Imprensa Oficial, 2010: “qualquer imagem de qualquer época, mesmo que seja manipulada, pode ter seu valor enquanto documento. (...) Todas as imagens tem uma função. (...) A Elite pensante, em qualquer geração ou situação, corre um perigo muito grande. O de torcer o nariz para o que seja popular. (...) o ruim, na pior das hipóteses, nos ajuda a discernir o que é melhor”.

Assim, o cinema de qualquer período, lugar e/ou artista poderá aqui ser analisado, sem que a distinção entre filme de arte e diversão escapista interfira no processo, afinal, tanto o rigor quanto o formalismo em demasia podem impedir a descoberta de pequenos grandes prazeres muitas vezes encontrados nas pedras menos lapidadas. Ou, como diria um conhecido nosso, numa síntese descaradamente pop: “why so serious?”.




sábado, 25 de maio de 2013

Terapia de Risco



Fim de um Ciclo

Terapia de Risco (EUA, 2013) é o último trabalho de Steven Soderbergh antes do início de um período dedicado a produções televisivas. Dito isso, resta claro que o diretor se empenhou em encerrar com vigor um ciclo cinematográfico marcado por muita quantidade e esparsa qualidade. Uma vez que recentes produções suas como Che, À Toda Prova, O Desinformante! e Magic Mike revelavam uma dose maior de problemas do que de virtudes, tornou-se comum que os lançamentos do cineasta carecessem de expectativas, realidade essan interrompida pela grata surpresa que é Terapia de Risco.

Munido de um roteiro marcado por reviravoltas tão interessantes como, por exemplo, as do contemporâneo Em Transe (Reino Unido, 2013), Soderbergh conduz com habilidade o thriller concentrando-se na história e não nas firulas estéticas que pouco acrescentaram a seus últimos filmes. Colabora também para o êxito da empreitada o fato de o diretor dessa vez trabalhar com um número menor de personagens e estrelas, o que impede a repetição de elementos supérfluos testemunhada em obras pretéritas como Contágio. E esse elenco reduzido, vale dizer, não deixa a tensão esmorecer em momento algum, destacando-se, nesse sentido, Rooney Mara que, ótima, demonstra não ser atrizde um papel só, agregando, assim, outra mulher atormentada e misteriosa a sua filmografia.
Terapia de Risco comprova que ainda existe em Steven Soderbergh um artista digno de respeito, afinal, não sobra dúvida que, a partir do primeiro ponto de virada do roteiro, qualquer que fosse o caminho escolhido para a trama, seja o drama ou o suspense, a atenção do espectador não seria dissipada porque já totalmente captada até então, o que, em última instância, denota o controle do diretor sobre a narrativa. Resta, portanto, aguardar pelo dia em que Soderbergh porá o pé no freio e compreenderá que menos às vezes é mais.

Ficha Técnica

Título Original: Side Effects
Direção: Steven Soderbergh
Produção: Scott Z. Burns, Lorenzo di Bonaventura, Gregory Jacobs
Roteiro: Scott Z. Burns
Elenco: Channing Tatum, Rooney Mara, Jude Law, Catherine Zeta-Jones, Mamie Gummer, Vinessa Shaw, David Costabile, Greg Paul, Laila Robins, Ashlie Atkinson, Kerry O'Malley, Andrea Bogart, Polly Draper, Nicole Ansari-Cox, Kelly Southerland, Peter Y. Kim, James Martinez, Carol Commissiong, Onika Day, Mario Moise Fontaine, Kevin Cannon, Michael Nathanson, Kenneth Simmons, Aaron Roman Weiner, Dylan Clark Marshall, Anthony J. Ribustello, Dennis Rees, Johnny Sanchez, Gil O'Brien, Lucinda Lewis, Vladimi Versailles, J. Claude Deering, Sean Marrinan, John Mitchell, Alan R. Rodriguez, Volieda Webb, Ilyana Kadushin, Sheila Tapia, Hollie K. Seidel, Kimberly Hana Nguyen, Blago Simon, Johan Matton, Laurence Covington, David Fierro, Timothy Klein, Zivile Kaminskaite, Leeann Hellijas, Larissa Laurel, Michelle Vergara Moore, Carol Stanzione, Brian Distance, Susan Gross, Carmen Pelaez, Nick Nappy, Nancy Nagrant, Erica Watson, Mitchell Michaliszyn, Alice Niedermair, Tischa Culver, Debbie Friedlander, Vince Hickman, Munro M. Bonnell, Ralph Meyer, Lisa Regal, John Farrer, Rosemary Howard, Annika Merkel, Jenny Rostain
Fotografia: Peter Andrews                           Trilha Sonora: Thomas Newman
Estreia no Brasil: 17.05.2013                       Estreia Mundial: 07.02.2013
Duração: 106 min.

Nenhum comentário:

Postar um comentário