Rastros de Justiça

A Inutilidade da Vingança

 

Décadas após presenciar seu irmão ser assassinado por razões políticas, Joe Griffin (James Nesbitt) é convidado a reencontrar o autor do crime Alistair Little (Liam Neeson) perante as câmeras de um programa de televisão.

Lançando mão de sacadas espertas, o roteiro de Rastros de Justiça (Inglaterra, 2009) busca jogar nova luz sobre o tema do reencontro entre vítima e agressor já tão abordado pelo cinema em filmes como o noventista A Morte e a Donzela (Death and the Maiden, 1994).

Assim, além de transformar em atração televisiva a situação limite dos personagens, o longa ainda localiza a trama em meio aos conflitos vigentes na Irlanda da Norte por conta do domínio britânico.

Neste sentido, as discussões políticas e religiosas infelizmente não ultrapassam a função de pano de fundo, quando, na verdade, poderiam render análises bem mais profundas caso colocadas nas mãos de um cineasta como Jim Sheridan, por exemplo.

Todavia, mesmo que o aspecto político não seja devidamente explorado, o diretor Oliver Hirschbiegel logra êxito naquilo que talvez tenha sido seu principal e exclusivo objetivo: demonstrar o quão vazia é a vingança. Para tanto, o embate ligeiro entre os antagonistas revela que poucos minutos são suficientes para provar a inutilidade de uma revanche aguardada por toda uma vida.

Desta feita, Rastros de Justiça, apesar de suas limitações, possui o inegável mérito de transmitir a força da mensagem supracitada, o que se deve a uma direção enxuta, que não se rende a emoções baratas, e segura quanto ao talento de seus dois atores principais.


COTAÇÃO: ☼☼☼

 

Ficha Técnica

Título Original: Five Minutes of Heaven
Roteiro: Guy Hibbert
Fotografia: Ruairi O'Brien
Elenco: Andrea Irvine (Sarah)Conor MacNeill (Dave)Richard Dormer (Michael)Gerry Doherty (pai de Joe) Anamaria Marinca (Vika) Liam Neeson (Alistair Little)James Nesbitt (Joe Griffin)
Estreia no Brasil: 19 de Janeiro de 2009
Duração: 90 minutos
Curiosidade: Inspirado em acontecimentos verídicos, o reencontro de Alistair Little com Joe Griffin é apenas uma criação do roteirista Guy Hibbert, já que os dois nunca se encontraram na vida real. Dentro deste contexto, a elaboração do roteiro exigiu que entrevistas separadas fossem realizadas com aqueles homens ao longo de três anos.

Comentários

  1. Cara, estou devorando alguns dos seus posts, hehehe. Bem, depois de tanto ler resolvi na orbrigação de comentar algo: parabéns pelo blog. Muito massa mesmo. Estou seguindo.

    Abs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

POSTS RECENTES MAIS LIDOS