Millennium/Os Homens que não Amavam as Mulheres

                         Filme Para Fãs?

               Ao que parece Millennium – Os Homens que não Amavam as Mulheres (EUA, 2011) é um filme melhor aproveitado por quem já assistiu a versão sueca lançada em 2009 e, principalmente, por quem já consumiu os best-sellers escritos por Stieg Larsson. Explique-se: assim como as versões cinematográficas se equivalem em termos de irregularidade também se completam no que tange o aprofundamento de diferentes quesitos.
              Com efeito, ao passo que o longa-metragem sueco soa mais cru e virulento, a obra de David Fincher se esmera na tensão sexual entre os personagens – daí dar mais atenção, por exemplo, a personagem Erika Berger, praticamente ignorada no exemplar sueco. Por outro lado, enquanto no filme dirigido por Niels Arden Oplev prevalece uma total fidelidade ao material de origem, a adaptação hollywoodiana traz ligeiras mas substanciais alterações que, se não comprometem o todo, são suficientes para trair determinadas essências dos personagens – neste diapasão, resta deveras equivocada a confissão de Lisbeth Salander sobre seu passado nebuloso, opção essa que além de adiantar eventos oriundos do segundo livro da trilogia, ainda quebra a natureza originalmente reservada da personagem.
              Todos esses são fatores, como dito, melhor identificados por quem já se debruçou sobre as páginas de Larsson, daí que para tais pessoas talvez resulte mais fácil compreender as mencionadas irregularidades de ritmo das transposições cinematográficas, eis que, dentre os três livros, o primeiro é justamente aquele que de modo mais lento se impõe perante o leitor, dado o grande número de personagens e eventos distribuídos ao longo de inúmeras elipses temporais e espaciais. Considerando que a linguagem do cinema não detém o mesmo tempo de maturação da literatura, os exemplares fílmicos acabam se limitando enquanto o suspense que envolve o desaparecimento de uma pessoa, deixando, portanto, de explorar com mais afinco dois grandes temas reais que dialogam ao longo de todo o livro, quais sejam os crimes praticados contra as mulheres e as negociatas de investidores europeus com membros da máfia.
              Dentro deste contexto, além das equivalentes propostas estéticas – o que soou um tanto frustrante para quem esperava mais de um David Fincher aqui bastante anticlimático – ambos os filmes apresentam eficientes interpretações de Lisbeth Salander – a melhor personagem criada em décadas no universo literário -, saltando aos olhos, desta feita, a entrega de Rooney Mara e Noomi Rapace ao papel. Neste passo, se a versão sueca de Mikael Blomkvist ganhou um intérprete apático (Michael Nyqvist), a norte-americana coincidentemente comete o mesmo erro graças a escalação de Daniel Craig para o papel (eis o caso de se perguntar: por que não se lançou mão do óbvio, qual seja a escalação de George Clooney?).
              Por fim, cabe frisar que os dois suspenses dispõem de competentes trabalhos de montagem, o que no caso da obra de Fincher ganha ainda mais destaque em razão de uma banda sonora que entrecorta diálogos sem necessariamente mostrar suas fontes, administrando e condensando, assim, consideráveis frações da história.
              Aguardemos, então, as adaptações dos volumes dois e três da trilogia, visto que é nestes livros que se encontram as cerejas do bolo de Larsson.

COTAÇÕES:
Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres - ۞۞۞        
Os Homens que não Amavam as Mulheres - ۞۞۞۞

Ficha Técnica - Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres
Título Original: The Girl with the Dragon Tattoo
Direção: David Fincher
Roteiro: Steven Zaillian
Produção: Ceán Chaffin, Ole Søndberg, Scott Rudin, Søren Stærmose
Elenco: Joely Richardson (Anita Vanger)Joel Kinnaman (Christer Malm)Embeth Davidtz (Annika Blomkvist) Moa Garpendal (Young Harriet Vanger)Christopher Plummer (Henrik Vanger)Donald Sumpter (Detective Morell)Stellan Skarsgård (Martin Vanger)Steven BerkoffRobin Wright (Erika Berger)Yorick van Wageningen (Nils Bjurman)David Dencik (Young Morell)Bengt C.W. Carlsson (Holger Palmgren)Matthew Wolf (Tech Clerk)Julian Sands (Young Henrik Vanger)Goran Visnjic (Dragan Armansky)Rooney Mara (Lisbeth Salander)Arly Jover (Liv)Daniel Craig (Mikael Blomkvist)Geraldine James (Cecilia Vanger)Cate Montgomery (Lea Persson)
Música: Trent Reznor e Atticus Ross
Fotografia: Jeff Cronenweth
Direção de arte: Frida Arvidsson, Linda Jansson, Pernilla Olsson, Tom Reta, Kajsa Severin e Mikael Varhelyi
Figurino: Trish Summerville
Edição: Kirk Baxter e Angus Wall
Estreia no Brasil: 27 de Janeiro de 2012
Estreia Mundial: 21 de Dezembro de 2011
Duração: 158 min.
Curiosidades:
“Embora Fincher não esteja confirmado na direção, Mara e Craig já possuem contrato para atuarem nas versões hollywoodianas de A Menina que Brincava com Fogo e A Rainha do Castelo de Ar” (FONTE: http://www.adorocinema.com/colunas/millennium-os-homens-que-nao-amavam-as-mulheres-1335/).
“Pelo desempenho na trilogia sueca dando vida a Lisbeth Salander, a atriz Noomi Rapace chegou a ter uma campanha capitaneada por criticos, pedindo o seu retorno para o papel, mas ela mesma recusou a ideia, declarando insatisfação de repetir o mesmo personagem por três vezes nas mesmas histórias” (FONTE: http://www.adorocinema.com/filmes/millennium-os-homens-que-nao-amavam-as-mulheres/noticias-e-curiosidades/).

Ficha Técnica – Os Homens que não Amavam as Mulheres
Título Original: Män Som Hatar Kvinnor
Direção:Niels Arden Oplev
Roteiro: Nikolaj Arcel, Rasmus Heisterberg
Produção: Søren Stærmose,
Elenco: Linn Björlund (Young Anita Vanger)Georgi Staykov (Alexander Zalachenko) Reuben Sallmander (Enrico Giannini) Nina Norén (Agneta Salander) Michael Nyqvist (Mikael Blomkvist)Annika Hallin (Annika Giannini)Isabella Isacson (Monica Giannini)Lena Endre (Erika Berger)Peter Haber (Martin Vanger)Sven-Bertil Taube (Henrik Vanger)Willie Andréason (Birger Vanger) Margareta Stone (Birgit Falk)Marika Lagercrantz (Cecilia Vanger)Noomi Rapace (Lisbeth Salander)Fredrik Ohlsson (Gunnar Brännlund)Gösta Bredefeldt (Harald Vanger)Stefan Sauk (Hans-Erik Wennerström)David Dencik (Janne Dahlman)Peter Andersson (Nils Bjurman)Ingvar Hirdwall (Dirch Frode)Sofia Brattwall (Marie )Ewa Fröling (Harriet Vanger) Yasmine Garbi (Miriam Wu) Björn Granath (Gustav Morell)Laura Lind (Jennie Giannini)Jacob Ericksson (Christer Malm)Tehilla Blad (Young Lisbeth Salander)Julia Sporre (Young Harriet Vanger)Michalis Koutsogiannakis (Dragan Armanskij)Sofia Ledarp (Malin Erikson)Tomas Köhler ('Plague')Christian Fiedler (Otto Falk)Gunnel Lindblom (Isabella Vanger)
Música: Jacob Groth
Fotografia: Jens Fischer e Eric Kress
Direção de Arte: Niels Sejer (desenho de produção)
Figurino: Cilla Rörby
Edição: Anne Osterud
Estreia no Brasil: 23 de Outubro de 2009
Estreia Mundial: 27 de Fevereiro de 2009
Duração: 152 min.

Comentários

  1. Ignoro completamente o universo literário do filme, mas interessei-me por ele por causa de Fincher. Embora tenha lido uma crítica negativa (que dizia residir o problema do filme na baixa qualidade de sua matéria-prima, ou seja, no livro), tenho as expectativa de que seja um filme ao menos interessante.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

POSTS RECENTES MAIS LIDOS