Um Conto Chinês/Gran Torino

                           O Carro e a Vaca

                Em Um Conto Chinês (Argentina, 2011) uma vaca serve de elemento propulsor a uma improvável amizade que no futuro será estabelecida, ao passo que em Gran Torino (EUA, 2008) um automóvel será responsável pela aproximação de dois homens que, tal como no título argentino, nada possuem em comum. São ganchos aparentemente diferentes mas que, na verdade demonstram muito do quanto os dois filmes se completam, senão vejamos:
               Há circunstâncias e características que muito assemelham o metódico e eremita Roberto - protagonista da produção sul-americana - do ranzinza e antiquado Walt Kowalski – personagem principal de Gran Torino –, isso porque ambos são solitários ex-combatentes de guerras (das Malvinas e da Coréia, respectivamente) cujos atos então praticados deixaram marcas profundas em seus comportamentos e na forma como passaram a compreender o mundo e a vida. Não fosse o bastante, os dois tem suas rotinas subitamente alteradas em função do forçado convívio com orientais que as suas portas batem.
              Um Conto Chinês se vale de um roteiro extremamente hábil na articulação de detalhes. Logo, absolutamente nada na história se mostra aleatório, característica que, aliás, autoriza um eficiente flerte da trama com o absurdo. Dentro deste contexto, a considerável porção de excentricidade do trabalho do diretor e roteirista Sebastián Borensztein, felizmente, goza de sustentação própria graças a dose de plausibilidade que lhe é ministrada ao longo do filme, daí restar dispensado, nesse sentido, a cumplicidade do espectador, a quem é conferido apenas a faculdade de se deliciar com um humor refinado e competente quanto a construção da errática trajetória de um homem desesperado pelo término de uma boa ação que não deveria ter durado mais do que alguns minutos.               
               O longa-metragem dirigido por Clint Eastwood, por seu turno, não abre muito espaço para a comédia – a não ser indiretamente naquilo que se refere a conduta rabugenta de Kowalski –, enveredando, na verdade, pelo caminho da tensão que caracteriza a reunião de etnias díspares ao longo da região suburbana norte-americana, cenário esse no qual preconceito racial e xenofobia são não só diagnosticados como também tem suas origens investigadas. Dito isso, tal qual um Dirty Harry envelhecido, o personagem de Eastwood revela toda sua intolerância perante asiáticos, negros e latinos para, em seguida, trilhar uma rota de redenção que o torna, por fim, mais parecido com os inúmeros anti-heróis do velho oeste interpretados pelo ator durante sua carreira.
             Além dos elementos já comentados, há, ainda, outro grande ponto em comum entre Um Conto Chinês e Gran Torino, qual seja a excelência demonstrada por Ricardo Darín e Eastwood no que tange a defesa de seus papeis. Em virtude desses artistas as vicissitudes de homens ordinários envoltos em situações extraordinárias são mostradas em esplendor, o que explica o porquê de nenhum dos dois personagens ser abrangido pela simplória rotulação bom ou mau.

COTAÇÕES:
Um Conto Chinês - ۞۞۞۞       
Gran Torino - ۞۞۞۞

Ficha Técnica – Um Conto Chinês
Título Original: Un Cuento Chino
Direção e Roteiro: Sebastián Borensztein
Produção: Axel Kuschevatzky, Ben Odell, Carlos Mentasti, Gerardo Herrero, Isabel García Peralta, Josean Gómez, Juan Pablo Buscarini, Marcelo La Torre, Mariela Besuievski, Pablo Bossi
Elenco: Ricardo Darín (Roberto)Muriel Santa Ana (Mari)Ignacio Huang (Jun)Javier Pinto (Amante Italiano)
Estreia Mundial: 24.03.2011                          Duração: 93 min.
Ficha Técnica - Gran Torino
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: Dave Johannson, Nick Schenk
Produtores: Bill Gerber, Clint Eastwood, Robert Lorenz
Elenco: Cory Hardrict (Duke)Geraldine Hughes (Karen Kowalski)John Carroll Lynch (Barber)Clint Eastwood (Walt Kowalski) Nana Gbewonyo (Monk)Christopher Carley (Father Janovich) Ahney Her (Sue Lor)Bee Vang (Tao Vang Lor) Brian Howe (Steve Kowalski)Doua Moua (Fong / Spider)Brian Haley (Mitch Kowalski)Dreama Walker (Ashley Kowalski)
Estreia no Brasil: 20.03.2009                         Duração: 117 min.

Comentários

  1. Ainda preciso ver Um Conto Chinês, mas logo adianto que acho Gran Torino um dos mais subestimandos do Eastwood. Grande filme!

    http://eaicinefilocadevoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

LEIA TAMBÉM