EDITORIAL

Após muito pensar sobre a descrição do blog, topei com o seguinte texto de Leon Cakoff, in Os Filmes da Minha Vida, São Paulo: Imprensa Oficial, 2010: “qualquer imagem de qualquer época, mesmo que seja manipulada, pode ter seu valor enquanto documento. (...) Todas as imagens tem uma função. (...) A Elite pensante, em qualquer geração ou situação, corre um perigo muito grande. O de torcer o nariz para o que seja popular. (...) o ruim, na pior das hipóteses, nos ajuda a discernir o que é melhor”.

Assim, o cinema de qualquer período, lugar e/ou artista poderá aqui ser analisado, sem que a distinção entre filme de arte e diversão escapista interfira no processo, afinal, tanto o rigor quanto o formalismo em demasia podem impedir a descoberta de pequenos grandes prazeres muitas vezes encontrados nas pedras menos lapidadas. Ou, como diria um conhecido nosso, numa síntese descaradamente pop: “why so serious?”.




quinta-feira, 18 de abril de 2013

O Mestre



Sutileza ao Invés de Polêmica

Paul Thomas Anderson é, inconteste, um dos mais importantes diretores do cinema mundial, logo, é natural que, a cada anúncio de uma nova produção sua, inicie-se a expectativa por um trabalho tão impactante quanto os já feitos anteriormente. Essa ansiedade, aliás, acaba, por vezes, comprometendo a visão do espectador que, exigente, não se contenta com algo que não esteja no patamar de um Boogie Nights (EUA, 1997) ou de um Sangue Negro (EUA, 2007), por exemplo. Dentro deste contexto, O Mestre (EUA, 2012) não atinge as mesmas notas dos títulos citados, o que em momento algum significa que se trate de um trabalho irrelevante e/ou desprovido de qualidades.

Talvez o longa-metragem desaponte alguns por não ser mais contundente ao questionar os fundamentos do movimento religioso de cunho duvidoso que, liderado pelo personagem de Philip Seymour Hoffman, possui clara semelhança com a obscura Cientologia. Ocorre que ao decidir pela sutileza no lugar da polêmica Anderson demonstra, na verdade, que o foco de seu interesse está limitado na relação de servidão um tanto doentia experimentada entre os personagens principais. Os motivos que levam as pessoas a depositar sua fé em algo ou alguém não são aqui perscrutados, embora possam até ser compreendidos como um reflexo do que mantém os protagonistas tão próximos, não obstante a total falta de crença um no outro: satisfação egoística e subserviência como sentido para uma existência.

Da mesma forma como experimentara antes em Sangue Negro, Anderson extrai o máximo de seus planos para, lentamente, expor o desabrochar de uma relação de dependência mútua. Tal toada garante o êxito da empreitada na medida em que permite o aprofundamento individual e em parceria de personagens vividos por dois extraordinários atores. Joaquin Phoenix e P.S. Hoffman duelam feito titãs, conferindo ao filme, no mínimo, uma sequência inesquecível na qual os dois encarcerados discutem enquanto o primeiro literalmente destrói o cenário. Fúria e humor formam nesse momento uma combinação tão inusitada quanto a que é vista a partir da união das duas figuras.

FICHA TÉCNICA


Título Original: The Master

Direção e Roteiro: Paul Thomas Anderson

Produção: Paul Thomas Anderson, Megan Ellison, Daniel Lupi, JoAnne Sellar

Elenco:Amy Adams, Philip Seymour Hoffman, Joaquin Phoenix, Laura Dern, Jesse Plemons, Rami Malek, Jillian Bell, Kevin J. O'Connor, W. Earl Brown, Lena Endre, Fiona Dourif, Ambyr Childers, Joshua Close, Darren Le Gallo, Madisen Beaty, Katie Boland, David Warshofsky, Josh Fadem, Bill Blair, Mimi Cozzens, Barlow Jacobs, Jill Andre, Aaron Farb, Kevin J. Walsh, Martin Dew, Dan Brown, Franklin Ruehl, Jennifer Neala Page, Matthew Skomo, Brendan Norman, Brian Fong, Mike Howard, Lourdes Nadres, James Barbour, Frank Bettag, Steve Chapman, Ken Venzke, Jesse Soares, Joe Foley, Terry Lane, Harold Rudolph, Scott J. Allen, Nicholas Cederlind, Paul Yeatman, Christine Ames, Robert Amico, Brian Bell, Matt Bingham, Denis Boulankine, Phillip Caires, Jonathan Carr, Cabran E. Chamberlain, Liz Clare, Aaron B.W. Collins, Nick Corvello, Zachary Culbertson, Thomas Dalby, Andy Dale, Sommer Fehmel, Ariel Felix, Jasmine Fletcher, Shannon Freyer, Martin Gagen, Kerry Goodwin, David Alan Hodges, Baily Hopkins, Courtney Howard, Brian Jagger, Jeffrey W. Jenkins, Christina Jo'Leigh, Mari Kearney, Brittany Kilcoyne McGregor, Sarah Klaren, Veronika Kurshinskaya, Fernando Lara, Mark Lavell, Paul Loverde, Josh Margulies, Carl Marino, John Mawson, Ray Medved, Jesse Muick, Rene NapoliStephane Nicoli, Andrew Nitzke, Jefferson Nogueira, Montgomery Paulsen, Allen Pontes, Heather Power, Jonathan Retamoza-Davila, Alexandra Tejeda Rieloff, Mark Roman, Vanessa Ross, Timothy D. Rossi, Dylan Saccoccio, Andrew Schlessinger, Joseph R Scott, Bradley E. Smith, Arne Starr, Thomas W. Stewart, Kellog Stover, Michael A. Templeton, John H. Tobin, Ian Trottier, Vladimir Velasco, Bryan Westfall, Grey Wolf

Fotografia: Mihai Malaimare Jr.                    Trilha Sonora: Jonny Greenwood

Estreia Mundial: 21.09.2012                          Estreia Brasil: 25.01.2013

Duração: 138 min.

Nenhum comentário:

Postar um comentário