EDITORIAL

Após muito pensar sobre a descrição do blog, topei com o seguinte texto de Leon Cakoff, in Os Filmes da Minha Vida, São Paulo: Imprensa Oficial, 2010: “qualquer imagem de qualquer época, mesmo que seja manipulada, pode ter seu valor enquanto documento. (...) Todas as imagens tem uma função. (...) A Elite pensante, em qualquer geração ou situação, corre um perigo muito grande. O de torcer o nariz para o que seja popular. (...) o ruim, na pior das hipóteses, nos ajuda a discernir o que é melhor”.

Assim, o cinema de qualquer período, lugar e/ou artista poderá aqui ser analisado, sem que a distinção entre filme de arte e diversão escapista interfira no processo, afinal, tanto o rigor quanto o formalismo em demasia podem impedir a descoberta de pequenos grandes prazeres muitas vezes encontrados nas pedras menos lapidadas. Ou, como diria um conhecido nosso, numa síntese descaradamente pop: “why so serious?”.




quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Caça aos Gângsteres



Apenas Mais Um

Caça aos Gângsteres (EUA, 2012) aparenta ser um programa promissor, afinal, trata-se de um elenco estelar resgatando um filão que já rendeu pérolas como Os Intocáveis, por exemplo. Ocorre que, infelizmente, a expectativa não se concretiza em realidade em função da preocupação quanto ao conteúdo do projeto não ser a mesma quanto a sua forma. Sim, a produção apresenta ótimos trabalhos de direção de arte e de fotografia, destacando-se neste último diapasão os elaborados planos que em muito lembram enquadramentos de histórias em quadrinhos; todavia, o longa-metragem carece do charme dos filmes noir, em razão de um roteiro que é fraco não só pelos furos e soluções fáceis apresentadas mas, sobretudo, porque deficiente no que tange a construção de seus personagens – aos papeis coadjuvantes não é dispensada qualquer atenção, o que prejudica, por óbvio, a narrativa em seu conjunto final. Ademais, a obra dispensa por completo a oportunidade de refletir sobre até que ponto os atos da milícia formada pelos mocinhos poderiam se igualar aos dos mafiosos, daí resultar insuficiente para aqueles que almejam ver algo mais do que sequências estilizadas de violência.
Ao que parece, o diretor Ruben Fleischer, de Zumbilândia, detém um talento para a comédia que não se estende para enredos mais sérios. De qualquer forma, nem tudo restou perdido, eis que o cineasta teve a seu dispor Sean Penn em uma interpretação que pode até parecer over para alguns, mas que, no mínimo, demonstra o ator empenhado que é – mesmo que a participação da vez seja em um projeto mediano cujos realizadores são incapazes de explorar todas possibilidades do mesmo.

FICHA TÉCNICA
Título Original: Gangster Squad
Direção: Ruben Fleischer
Produção: Dan Lin, Kevin McCormick, Michael Tadross
Roteiro: Will Beall
Elenco: Ryan Gosling, Emma Stone, Sean Penn, Josh Brolin, Nick Nolte, Giovanni Ribisi, Josh Pence, Frank Grillo, Anthony Mackie, Robert Patrick, Michael Peña, Mireille Enos, Derek Mears, Sullivan Stanleton, TroyGarity, Jon Polito, Holt McCallany, Austin Highsmith, Jonny Coyne, Maxwell Perry Cotton, Brandon Molale, James Carpinello, Ambyr Childers, Dennis Cockrum, De'aundre Bonds, Jeff Wolfe, Jim Fitzpatrick, James Hébert, Austin Abrams, Christopher Aber, Mac Brandt, Haley Strode, Nancy McCrumb, Geoff Pilkington, Sophia Strauss, TonySagastizado I, Yvette Tucker, Kara C. Roberts, LeniFord, Katrina Munday, Pamela Cedar, Isabel Dresden, Trey Rogers, Carolina Prowido, Christopher Tisa, Joseph Olibrice, Mick Betancourt, Ron Pucillo
Fotografia: Dion Beebe                                Trilha Sonora: Carter Burwell
Estreia Mundial: 11.01.2013                       Estreia Brasil: 01.02.2013
Duração: 116 min.

Nenhum comentário:

Postar um comentário