Educação/A Primeira Noite de um Homem


        A Transgressão Através de Prismas Opostos

                  Em Educação (Reino Unido, 2009) Jenny (Carey Mulligan) é uma adolescente entediada com a monotonia de seus dias e relutante quanto ao planejamento do futuro universitário arquitetado por seus pais. Mais interessada em cultura francesa do que em aulas de latim, a garota vê seu mundinho se expandir ao conhecer David (Peter Sarsgaard) que, com o dobro da idade de Jenny, proporciona a esta prazeres mundanos, culturais e sexuais.
Ainda que o roteiro de Nick Hornby, autor de Alta Fidelidade, disseque com maestria as personalidades e nuances de cada personagem, a direção de Lone Scherfig peca por sua linearidade, seu tradicionalismo, não ousando, assim, se inspirar na transgressão e na rebeldia da protagonista ou até, quem sabe, na Nouvelle Vague que reinava na França dos anos 60 tão idolatrada por Jenny.
Neste sentido, todo o enfrentamento da menina perante moralismo de seus pais, professores e sociedade cai por terra por conta de um final deveras simplório que leva a crer que, de fato, o mundo é dividido entre o certo e o errado, sendo o primeiro ocupado pela indulgência aos valores e deveres instituídos pelos doutores do saber e o segundo caracterizado pela revolta àquilo que nos estipulam a ser e a fazer.
Apesar de ser uma espécie de versão feminina, mas não feminista, de A Primeira Noite de um Homem (EUA, 1967), é curioso como Educação, mesmo em tempos cínicos como o das duas últimas décadas - nas quais valores foram revirados de ponta a cabeça -, consiga ser tão moralista, o que, há de se convir, é algo que sua versão masculina jamais demonstra ser, seja em sua introdução, em seu desenvolvimento e/ou em seu término.
Sim, os tempos eram outros. Na ocasião da realização de The Graduate – há mais de quatro décadas – a revolução sexual, a contracultura e a indignação contra o sistema político belicista eram realidades que tornavam os jovens mais instruídos e menos voluntariosos para com os planos de seus pais, por exemplo.
Por isso, A Primeira Noite de um Homem é festejado pela fidelidade com que registrou aspectos comportamentais deste período histórico. No filme, além de ultrapassados, os valores são pretensamente passados por adultos com condutas que também não inspiram muita confiança, o que, se num primeiro momento atordoa a mente de Benjamin Braddock, personagem de Dustin Hoffman, por outro lado lhe confere, em seguida, a certeza quanto ao rumo alternativo, diverso a ser dado para sua vida.
Desta feita - não obstante a presença de inegáveis qualidades técnicas no que tange fotografia, direção de arte e figurinos -, é justamente a coerência para com a retratação comportamental da época que falta à Educação e que, infelizmente, se firma como principal referência da obra.

COTAÇÕES:
Educação - ۞۞۞
A Primeira Noite de um Homem - ۞۞۞۞۞

Ficha Técnica - Educação
Título Original: An Education
Direção: Lone Scherfig                         Roteiro: Nick Hornby
Elenco: Alfred Molina (Jack)Amanda Fairbank-Hynes (Hattie)Matthew Beard (Graham)Olivia Williams (Miss Stubbs)Peter Sarsgaard (David)Carey Mulligan (Jenny)Emma Thompson (Diretora da Escola)Rosamund Pike (Helen)Dominic Cooper (Danny)Cara Seymour (Marjorie)Sally Hawkins (Sarah)
Estreia: 30 de Outubro de 2009           Duração: 95 minutos

Ficha Técnica - A Primeira Noite de um Homem
Título Original: The Graduate
Direção: Mike Nichols                          Roteiro: Buck Henry, Calder Willingham
Elenco: Alice Ghostley (Mrs. Singleman)Dustin Hoffman (Benjamin Braddock)Marion Lorne (Miss DeWitte)Elizabeth Wilson (Mrs. Braddock)Katharine Ross (Elaine Robinson)Brian Avery (Carl Smith)Walter Brooke (Mr. McGuire)Murray Hamilton (Mr. Robinson)William Daniels (Mr. Braddock)Anne Bancroft (Mrs. Robinson)Jonathan Hole (Mr. Singleman)Norman Fell (Mr. McCleery)
Estreia: 22 de Dezembro de 1967       Duração: 105 minutos

Comentários

POSTS RECENTES MAIS LIDOS