Os Famosos e os Duendes da Morte


Roupagem Indie

Os Famosos e os Duendes da Morte tem sido sintetizado como filme de temática adolescente, conclusão esta um tanto quanto equivocada, visto que os questionamentos por ele levantados podem até surgir em tal fase da vida mas não necessariamente nela se esgotam.
Neste sentido, a sensação de clausura em um ambiente que não corresponde às expectativas físicas e materiais do protagonista funciona como tema central de um enredo permeado por dilemas paralelos envolvendo assuntos como sexualidade, morte e separação.
Em seu longa-metragem de estréia Esmir Filho esbanja competência ao  adotar um tom poético, mas ao mesmo tempo sóbrio, que lhe permite lançar mão de um ritmo contemplativo, porém nunca estático, enfadonho, pretensioso.
Demonstrando pleno domínio da narrativa, o cineasta mescla de maneira invejável artifícios visuais que, embora não inéditos, se integram com perfeição ao clima pretendido para a obra.
Para tanto, a magistral fotografia se alia aos exemplares trabalhos de cenografia e montagem, conjunto esse que ganha ainda mais destaque por conta das interpretações sinceras de um elenco composto em sua plenitude por rostos até então desconhecidos.
Apesar de sua constante melancolia, Os Famosos... constitui um, hoje, raro exemplo de produção em que tudo é tão bem feito que ficamos na torcida para que seu término custe a chegar, tamanha a beleza – contida e jamais enjoativa – impressa em cada segundo de sua duração.
Talvez o único erro de Esmir Filho consista na utilização em excesso das canções de Bob Dylan, o que, na verdade, representa um pecado insignificante e extremamente compreensível, dado o presente inexpressivo e o futuro sem perspectivas de um personagem que prefere, como meio de fuga, voltar seu olhar para o passado, não obstante as inovações tecnológicas que o conectam para além das fronteiras de sua cidade natal.
O tempo dirá se a roupagem indie da obra consolidará uma tendência voltada a um nicho deveras específico ou se, em hipótese contrária, constituirá um exemplo isolado de excelência na recente produção cinematográfica nacional. Torçamos então.

COTAÇÃO - ☼☼☼☼☼             

Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Esmir Filho
Elenco: Henrique Larré (Mr. Tambourine)Ismael Caneppele (Julian)Tuane Eggers (Garota)Samuel Reginatto (Diego)Áurea Baptista (Mãe)Adriana Seiffert (Mãe de Paulinho)
Estreia: 2 de Abril de 2010
Duração: 101 minutos
Curiosidade: A pessoa com quem o protagonista conversa pela Internet é o próprio diretor Esmir Filho, daí as iniciais E.F. que aparecem na tela.

Comentários

POSTS RECENTES MAIS LIDOS