EDITORIAL

Após muito pensar sobre a descrição do blog, topei com o seguinte texto de Leon Cakoff, in Os Filmes da Minha Vida, São Paulo: Imprensa Oficial, 2010: “qualquer imagem de qualquer época, mesmo que seja manipulada, pode ter seu valor enquanto documento. (...) Todas as imagens tem uma função. (...) A Elite pensante, em qualquer geração ou situação, corre um perigo muito grande. O de torcer o nariz para o que seja popular. (...) o ruim, na pior das hipóteses, nos ajuda a discernir o que é melhor”.

Assim, o cinema de qualquer período, lugar e/ou artista poderá aqui ser analisado, sem que a distinção entre filme de arte e diversão escapista interfira no processo, afinal, tanto o rigor quanto o formalismo em demasia podem impedir a descoberta de pequenos grandes prazeres muitas vezes encontrados nas pedras menos lapidadas. Ou, como diria um conhecido nosso, numa síntese descaradamente pop: “why so serious?”.




quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Os 10 Melhores de 2010


Cinéfilo que é cinéfilo adora listas; filmes que já viu, que quer ver, que não quer ver, obras principais de determinado gênero, diretor, ator/atriz são alguns dos itens que comumente preenchem cada rol criado pelos cinemaníacos. Pensando nisso, nada melhor que aproveitar o último dia do ano para listar os dez melhores trabalhos de 2010 que estrearam nos circuitos comercial e/ou alternativo da cidade de Belém. Desta feita, vamos, então, aos dez mais:

01.                     O Segredo dos Seus Olhos

A obra-prima de Juan José Campanella que consagrou em definitivo o novo cinema argentino e que se sagrou como grande vencedora do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro deste ano.

02.                     Os Famosos e os Duendes da Morte 

A estréia de Esmir Filho como diretor de longas-metragens resultou em um trabalho autoral, poético e antenado com a geração indie ainda pouco retratada no cinema.

03.                     A Rede Social

David Fincher surpreende mais uma vez ao contar uma história que muitos suspeitavam não dispor de atrativos. Nas mãos de Fincher a trama envolvendo a criação do Facebook se tornou um filme pulsante e com cheiro de Oscar.

04.                     Ao Lado da Pianista

Suspense francês de grande simplicidade e notória eficiência. Filme para ver e rever.

05.                     Tropa de Elite 2

Yes, nós temos blockbuster! A sequência que superou o fenômeno do filme anterior seja em qualidade seja em bilheteria.

06.                     O Fantástico Sr. Raposo

Wes Anderson revisita as esquisitices que normalmente permeiam suas obras, valendo-se desta vez da animação em stop-motion. Ainda não viu? Então corra.
 
07.                     Abutres

Ricardo Darín estrela mais um grande filme argentino que aqui é mesclado com elementos da produção sul-coreana. Abutres foi o filme escolhido pelos hermanos para concorrer a uma vaga na disputa pelo Oscar 2011 de Melhor Filme Estrangeiro.

08.                     Tudo Pode Dar Certo


A forma continua a mesma mas o conteúdo é mais uma vez hábil nas variações, densidade e graça. Tudo Pode Dar Certo é Woody Allen novamente acertando em cheio.

09.                     A Origem

A ficção de pitadas surrealistas de Christopher Nolan pode até não ter conquistado um bom resultado nas bilheterias brasileiras, mas é um entretenimento cerebral – algo raro – a ser respeitado.

10.                     A Jovem Rainha Vitória

Requinte e bom gosto marcam esta produção de Martin Scorcese que se consagrou como vencedora do Oscar de Melhor Figurino, mas que poderia facilmente ser lembrada nas premiações de quaisquer outras categorias.
Leia a crítica: http://setimacritica.blogspot.com/2010/12/jovem-rainha-vitoria.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário